Publicado em Deixe um comentário

3 Categorias Analíticas que vão lhe ajudar com Scrum

Scrum Controle Empírico

Controle de Processos Empíricos Scrum

Um princípio fundamental no método ágil Scrum é o Controle Empírico do Processo. No Scrum, as decisões são tomadas com base na observação e experimentação, em vez de planejamento.

Este monitoramento baseada em experiência real ou em experimentos científicos e não em somente em teoria para gestão de processos, depende de três grupos: transparência, inspeção e adaptação.

O Scrum prescreve a tomada de decisões baseada em observação e experimentação ao invés de um planejamento prévio e detalhado.

A transparência permite que todas as facetas de qualquer processo Scrum sejam observadas por qualquer pessoa. Isso promove transparência de informação em toda a organização e cria uma cultura de trabalho aberta.

O Scrumboard é uma ferramenta eficaz para mostrar a evolução do trabalho e atividades em progresso. Veja guia SBok da SCRUMStudyTM (2013), uma marca da VMEdu Inc.

O painel Kanban é outro bom exemplo de como é possui ter visibilidade do processo envolvendo atividades da equipe.

Sprint Burndown Chart.

Outra forma de compartilhar informações para a equipe é o Sprint Burndown Chart.

Assim, estas ferramentas visuais de informações apoiam a transparência nos projetos utilizando Scrum, levando a um ambiente de trabalho aberto.

No Scrum, em síntese, a transparência é representada através de:

Uma declaração de visão do projeto que pode ser visualizada por todas os Stakeholders e pela equipe (Scrum Team);

Um backlog de produto priorizado é aberto e contém as histórias de usuários, podendo ser visualizadas por todos, tanto dentro como fora da equipe;

Um cronograma de planejamento de liberação que pode ser coordenado entre várias equipes Scrum;

Visibilidade clara sobre o progresso da equipe através do uso do Scrumboard, Burndown Chart e outras formas de fornecer informações;

As reuniões diárias (Daily Standup Meetings) no qual os membros da equipe relatam o que fizeram no dia anterior, o que pretendem fazer hoje e problemas que os impedem de concluir as suas tarefas atuais no Sprint.

Reuniões de revisão do Sprint realizadas durante o processo para demonstre e validar o Sprint. Nesta oportunidade, a equipe demonstra os produtos do Sprint para o Product Owner e Stakeholders.

A inspeção no Scrum pode ser obtida por meio do uso do Scrumboard e utilizam de técnicas de compartilhamento de informação que mostram o progresso da equipe Scrum ao completar as tarefas no Sprint atual.

Outra forma de obter inspeção para um projeto utilizando o Scrum e a coleta de lições aprendidas através de feedback do cliente e outros Stakeholders (partes interessadas) durante os processos para desenvolver os épicos (Develop Epics).

A criação do backlog de produtos priorizados e condução de processos de liberação são outros exemplos que apoiam esta categoria analítica.

Em suma, pode-se fazer inspeção e aprovação das entregas (Deliverables) pelo Product Owner e pelo cliente no processo de demonstração e validação do Sprint (Demonstre and Validate Sprint).

A adaptação acontece à medida que a equipe principal do Scrum e as partes interessadas aprendem através da transparência e da inspeção, adaptando-se ao trabalho constante de fazer melhorias.

Nas reuniões de apresentações diárias, os membros da equipe Scrum discutem abertamente impedimentos para completar suas tarefas e buscam ajuda de outros.

Os mais experientes orientam aqueles com menos conhecimento do projeto ou tecnologia.

A identificação do risco é realizada e a comunicação ocorre ao longo do projeto.

Os riscos identificados tornam-se insumos para vários processos do Scrum, incluindo criar o backlog de produtos priorizados, listagem de produtos priorizada (Groom Prioritized Product Backlog) e demonstrar e validar o Sprint.

As melhorias podem resultar em pedidos de mudança (Change Requests), os quais são discutidos e aprovados durante os processos de desenvolvimento de épicos e criação backlog e processos de produto priorizado.

O Scrum Guidance Body interage com os membros da equipe Scrum durante a criação das estórias de usuários (Create User Stories).

Na reunião de retrospectiva do projeto, os participantes documentam as lições aprendidas e realizam revisões, procurando oportunidades para melhorar os processos e solucionar as ineficiências.

Neste contexto, observa-se a relevância de tomar decisões com base na objetividade por meio da observação e experimentação.

Referência:

SCRUMSTUDY. A Guide to the SCRUM Body of Knowledge (SBOK GUIDE). Phoenix: VMEdu Inc., 2013.

Publicado por:

O Dr. Eder Alves é fundador e principal consultor da PredictON. Possui background acadêmico em Administração de Empresas e Ciência da Computação com áreas de concentração em estratágia empresarial, inovação e gerenciamento de projetos. Adquiriu conhecimentos ao longo da vida universitária em sistemas de tecnologia da informação, gerenciando projetos complexos e programas para empresa globais como IBM e Freescale Semiconductor. É portador das credenciais PMP e Scrum Master Certified.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.